terça-feira, 10 de agosto de 2010

POESIA: O Gaúcho

Poema inédito da parceira Teresina para o "Na Hora do Amargo".

por Teresina Crema

O gaúcho acorda cedo
E bota água na chaleira esquentar
Ao lado da linda prenda
O gostoso chimarrão vai tomar

Enquanto a cuia passa de mão em mão
O gaúcho recorda as festanças
O churrasco da velha tradição

Depressa vai encilhando o cavalo
Com o nome de Picasso
Um beijo grande na chinoca
E pros amigos aquele abraço

O chapéu de aba larga
Bombacha, bota e espora
Lá vai o gaúcho alegre
Por este Brasil afora

Com o laço pendurado
Para o que der e vier
Se não consegue laçar o gado
Laça o coração da linda mulher

Travessa será e fronteira
Pra velha estância se vai
Matar a grande saudade
Dos irmãos e seus pais

Cansado deita na rede
E se abraça no velho violão
Não consegue esquecer a chinoca
Que entrou no seu coração


Regalo poesia: Teresina Crema
Regalo foto: Jackson Coelho (http://jackdesenhos.arteblog.com.br)

Um comentário:

Anônimo disse...

Isto que é ser gaúcho.....